Blog

Brasil é 4º país onde mais acontecem acidentes de trabalho

Ocupar as primeiras colocações de um ranking é sempre bom, certo? Errado, nem sempre! Prova disso é que o Brasil está entre os cinco países onde mais acontecem acidentes de trabalho no mundo, e, acredite, esse TOP 5 é sinônimo de tristeza e desolação. Infelizmente, a cada 48 segundos um acidente de trabalho acontece em nosso país, e a cada 4,5 horas, um trabalhador perde a vida, pelo mesmo motivo. Os dados são do Observatório Digital de Saúde e Segurança do Trabalho, desenvolvido pelo Ministério Público do Trabalho (MPT) e pela Organização Internacional do Trabalho (OIT).

Outro dado bastante representativo ilustra a falta de proteção à qual a grande maioria dos trabalhadores está exposta: entre 2012 e 2017, a Previdência Social gastou mais de R$ 26,2 bilhões com o pagamento de auxílios-doença, aposentadorias por invalidez, auxílios-acidente e pensões por morte de trabalhadores.

Sabe quais as partes do corpo mais atingidas?

Depois dos dedos, o pé é a parte mais atingida por acidentes de trabalho, conforme levantamento realizado em 2015. Somente neste ano, 6,4% dos acidentes de trabalho de todo o país ocorreram neste membro inferior do nosso corpo, totalizando quase 40 mil ocorrências.


Como proteger os pés?

Conforme mostram as estatísticas, os pés dos trabalhadores são pontos vulneráveis. A começar pelo piso sobre o qual eles se deslocam frequentemente, que pode apresentar irregularidades, ser liso, áspero ou escorregadio, e ainda conter perfurocortantes. Assim, é preciso optar por calçados que tenham solado adequado, de acordo com cada superfície, impedindo danos ao trabalhador.

Outro ponto crítico com relação à proteção dos pés é a biqueira dos calçados de segurança. Elas precisam ser resistentes e oferecer rigidez capaz de suportar elevadas cargas, mas, ao mesmo tempo, devem ser flexíveis para resistir a choques sem deformar-se.

As áreas que mais registraram acidentes de trabalho.

Os trabalhadores de funções transversais (em geral, operadores de veículos e máquinas) foram os mais atingidos, com 37,1% de acidentes registrados nesse segmento. Em seguida, o segmento de saúde, ciências biológicas, bioquímicas e afins foi o que mais registrou esses problemas, com 21,9%. A área da indústria extrativa e da construção civil ficou próximo, com 21,6% dos acidentes.

Como evitar tantos acidentes?

Aqui mesmo, no blog da Kadesh, já falamos sobre ações preventivas importantes. Clique aqui para reler o texto na íntegra. Sem dúvida alguma, uma das medidas que mais trazem segurança é o uso correto de equipamentos. Os chamados EPIs (Equipamentos de Proteção Individual) devem sempre estar na lista de prioridades de qualquer indústria ou empresa. Além de proteger o trabalhador esses equipamentos garantem que ele exerça suas funções com mais tranquilidade, aumentando sua produtividade.