Blog

Segurança do trabalho e proteção para os pés: qual a relação?

Você sabia que os pés são absolutamente fundamentais para o desenvolvimento de praticamente todas as atividades profissionais? É isso mesmo! Eles são responsáveis por auxiliar e executar a maioria dos nossos movimentos, além de serem indispensáveis por nos manterem em pé e equilibrados. Por isso, no âmbito do trabalho, proteger esses membros inferiores é tão importante.

Pés desprotegidos, dependendo da atividade do trabalhador, podem significar graves machucados, sequelas permanentes, impossibilidade de trabalhar temporária ou definitiva ou até mesmo a morte, no caso, por exemplo, dos profissionais que lidam com energia elétrica.

É por isso que os chamados EPIs (Equipamentos de Proteção Individual) são tão importantes para os trabalhadores. No caso da proteção aos pés, nada melhor do que os chamados calçados de segurança, que garantem um desenvolvimento de atividades seguro e despreocupado.

Quer saber mais sobre esse tema interessante? Então siga com a gente na leitura desse artigo.

Acidentes frequentes

Os acidentes de trabalho com os pés são muito mais frequentes do que se pode imaginar e vão desde tornozelos torcidos, cortes profundos, fraturas, esmagamentos, queimaduras até choques elétricos e inchaços que reverberam até as pernas. O uso de calçados de segurança protege contra todos esses males.

É claro que para cada atividade específica há um calçado adequado, que pode evitar danos graves para o trabalhador, por isso, é preciso buscar o produto que melhor corresponde a cada atividade. Além disso, é sempre importante confirmar se o fabricante possui o Certificado de Aprovação (C.A), que garante que o material é de qualidade, e que foi testado e aprovado pelo Ministério do Trabalho e Emprego, garantindo proteção e segurança.

O que pode causar tantos danos?

A verdade é que quase todos os trabalhos, especialmente os que envolvem o chão de fábrica ou atividades externas (inclusive no ambiente rural), submetem os pés ao mais diversos perigos. Esses riscos potenciais podem acontecer em decorrência de objetos que repentinamente caem ou rolam, materiais esmagadores ou penetrantes, substâncias quentes, corrosivas ou venenosas, riscos elétricos, eletricidade estática ou superfícies escorregadias.

Como o calçado protege para riscos diferentes, é essencial verificar se o produto que você pretende comprar protege contra os danos aos quais você pode ser submetido.

Por que o conforto do calçado também é um ponto importante?

Conforme já comentamos nesse artigo, existem basicamente duas categorias comuns de danos que podem ocorrer nos pés. A primeira e mais óbvia é a queda de objetos pesados, cortantes ou químicos. A segunda, embora não cause necessariamente problemas nos pés, deve ser considerada: escorregão, queda ou desequilíbrio.

Contudo, essas duas categorias de lesões não esgotam toda a variedade de problemas nos pés, no ambiente de trabalho. Outras condições, como calos, unhas encravadas ou simplesmente pés doloridos devem ser objeto de atenção. Embora não sejam consideradas lesões profissionais no sentido mais estrito, podem ter consequências para a saúde e a segurança do trabalhador. Afinal, tudo isso causa desconforto, dor e fadiga. Um calçado de qualidade, além de proteger efetivamente, deve também proporcionar conforto e bem-estar.

Quem deve providenciar a compra desse EPI?

É de total responsabilidade do empregador o fornecimento do calçado de segurança para os seus funcionários, lembrando que o produto deve estar de acordo com o tipo de ambiente em que o profissional irá trabalhar. A conservação do calçado é de responsabilidade do trabalhador.

Principais proteções proporcionadas pelo calçado de segurança

Proteções do Cabedal do Calçado de Segurança.

O cabedal é a área externa do calçado de segurança. Podemos classificá-la como a parte que “abraça o pé” e também é a mais visível, já que é a mais aparente. É lá que se situam o cadarço (quando há cadarço) e onde está a biqueira. O cabedal tem por função proteger contra os seguintes riscos:

  • Queda de líquidos.
  • Queda de produtos químicos.
  • Umidade provocada pela água.
  • Proteção contra choque elétrico.

Proteções da Biqueira do Calçado de Segurança.

A biqueira fica localizada na parte dianteira do calçado de segurança, geralmente, protegida pelo cabedal, por isso não é uma área visível. As biqueiras mais populares são feitas em aço ou composite, materiais que oferecem proteção contra os seguintes riscos:

  • Queda de objetos pesados.
  • Queda de objetos cortantes.
  • Topada com os mais variados objetos.
  • Trombadas de todo gênero (inclusive com máquinas).

Proteções do Solado do Calçado de Segurança.

O solado fica localizado na parte de baixo do calçado, é a área que está em contato com o chão. Normalmente, pode ter o seu solado feito em PVC ou poliuretano (PU). Quando feito em poliuretano, pode ser de monodensidade, quando há apenas uma injeção do material ou bidensidade, quando há duas injeções do material. Ele oferece proteção contra os seguintes riscos:

  • Possíveis escorregões.
  • Pisada em objetos perfurantes.
  • Pisada em objetos cortantes.
  • Umidade causada pela água.
  • Proteção contra choque elétrico.

 
Alguns tipos de calçados de segurança

Agora que você já conhece mais a fundo calçados de segurança, que tal conferir na prática alguns EPIs voltados para os pés e as situações que exigem esse tipo de proteção?

  • Botinas ou sapatos de segurança – Utilizados contra riscos de queda, esmagamento ou rolamento.
  • Botinas de segurança para trabalho com eletricidade – São calçados isolantes destinados a evitar que os pés dos usuários completem um circuito elétrico ao chão.
  • Botas impermeáveis ou à prova d’água – Ajudam a manter os pés dos usuários secos quando trabalham em condições úmidas.
  • Calçados resistentes ao deslizamento – Os calçados antideslizantes têm solas especiais que proporcionam tração em pisos úmidos ou oleosos.

Dicas do correto uso do seu EPI para os pés

  • Quando não estiver usando, guarde seu EPI para proteção dos pés em um local arejado, longe do calor e da umidade;
  • Use o EPI para proteção dos pés sempre amarrado;
  • Nunca use seu EPI para proteção dos pés como “chinelo”, ou seja, com o calcanhar para fora;
  • Jamais altere qualquer coisa no seu EPI para proteção dos pés como: cortar; furar; costurar ou até mesmo pintar;
  • Nunca seque seu EPI para proteção dos pés junto a fontes de calor como secadoras de roupas, aquecedores, caldeiras, estufas, fogões e nem mesmo junto ao sol;
  • A forma correta de secagem do EPI para proteção dos pés é à temperatura ambiente e à sombra;
  • Use apenas um pano úmido e limpo para a eliminação da sujeira acumulada do seu EPI para proteção dos pés;

Quer saber qual o melhor calçado de segurança para a sua atividade profissional?

Acesse www.kadeshonline.com.br

Precisa de ajuda? Converse conosco