Blog

Fevereiro Roxo e Laranja

Com o objetivo de conscientizar as pessoas sobre algumas doenças, cada mês do ano tem suas causas e cores. Em Fevereiro as cores são Roxo e Laranja e a campanha traz o foco para quatro doenças.

A cor laranja alerta sobre a Leucemia e o roxo simboliza a conscientização sobre Lúpus, Alzheimer e Fibromialgia. Estas três últimas são doenças distintas, mas que possuem uma característica em comum: elas não têm cura. Por isso é importante o diagnóstico precoce para garantir a qualidade de vida dos pacientes.

Para saber mais sobre as doenças da campanha Fevereiro Roxo e Laranja, trouxemos informações importantes sobre cada uma delas a seguir.

Leucemia

De acordo com o site do Inca (Instituto Nacional do Câncer), “a leucemia é uma doença maligna dos glóbulos brancos, geralmente, de origem desconhecida. Tem como principal característica o acúmulo de células doentes na medula óssea, que substituem as células sanguíneas normais”.

A medula óssea está localizada na cavidade dos ossos e é o local de fabricação das células sanguíneas (glóbulos brancos, glóbulos vermelhos e plaquetas). Por isso, o diagnóstico inicial é feito por meio do hemograma. E para confirmação do diagnóstico, realiza-se o exame da medula óssea (mielograma).

Em 2020 foram registrados 10.810 novos casos no Brasil, sendo 5.920 homens e 4.890 mulheres (INCA, 2020). Existem mais de 12 tipos de leucemia e o tratamento é feito com quimioterapia e, em alguns casos, indica-se o transplante de medula óssea.

Lúpus

O lúpus é uma doença autoimune na qual as células do sistema imunológico saem do controle e passam a atacar as células saudáveis, provocando inflamações em várias partes do corpo.

Esta doença é mais comum em mulheres, mas pode ocorrer em homens também. O lúpus não é contagioso, por isso não pode ser transmitido de uma pessoa a outra.

Apesar de ser uma enfermidade que não tem cura, existem alguns tratamentos para aliviar os sintomas e garantir a qualidade de vida da pessoa. O paciente deve ser acompanhado por um reumatologista, que poderá indicar o uso de remédios anti-inflamatórios, corticoides ou imunossupressores.

Os sintomas normalmente não são contínuos e aparecem nas fases de crise, durando alguns dias e depois desaparecem. Alguns dos sintomas mais comuns são febre, manchas vermelhas na pele, dor e inchaço das articulações, queda de cabelo, sensibilidade à luz, cansaço excessivo.

No Brasil estima-se que existem 65 mil pessoas com lúpus, sendo a maioria mulheres.

Doença de Alzheimer

A doença de Alzheimer é uma doença degenerativa do cérebro de evolução lenta e progressiva. Costuma manifestar-se acima dos 65 anos, comprometendo a memória e causando alterações no comportamento dos indivíduos.

É preciso ficar alerta à perda de memória que se repete e acaba comprometendo as atividades diárias da pessoa. A medida em que a doença evolui, estas perdas são cada vez mais progressivas, comprometendo até a lembrança de nomes de parentes próximos e o reconhecimento destas pessoas.

As mudanças no comportamento podem ocorrer desde o início e ao longo da evolução do Alzheimer. É possível identificar características depressivas, de agitação e de agressividade, ou até mesmo delírios e alucinações.

Dados do Ministério da Saúde apontam que cerca de 1,2 milhão de brasileiros sofrem com a doença e a cada ano 100 mil novos casos são diagnosticados. Em todo o mundo, o número chega a 50 milhões de pessoas.

O Alzheimer não tem cura, mas existem medicamentos que ajudam a estabilizar a doença ou diminuir a velocidade de perda funcional em cerca de cinco anos. E a prevenção inclui atividade física regular, alimentação balanceada, atividade intelectual e preservação das relações sociais e familiares.

Fibromialgia

A fibromialgia é uma doença reumática, que causa múltiplos pontos de dor por todo o corpo, especialmente nos tendões e articulações. Além das dores, o quadro pode vir acompanhado de cansaço, depressão, ansiedade e alterações intestinais.

Os sintomas variam, tanto na frequência quanto na intensidade. Para o diagnóstico, deve-se observar os seguintes sintomas: dor por mais de três meses em qualquer parte do corpo e presença de pontos dolorosos na musculatura.

Esta doença atinge cerca de 2% da população mundial e costuma ser mais frequente nas mulheres. Seu tratamento deve ser multidisciplinar, incluindo medicamentos, atividade física, acompanhamento psicológico e massagens.

Precisa de ajuda? Converse conosco