Blog

Dia Mundial da Segurança e Saúde no Trabalho

No dia 28 de abril é comemorado o Dia Mundial da Segurança e Saúde no Trabalho. A data foi instituída em 2003 pela Organização Internacional do Trabalho (OIT), em memória às vítimas de uma explosão numa mina no estado norte-americano da Virginia, que matou 78 mineiros em 1969. No Brasil, a data foi criada pela Lei nº 11.121/2005.

Desde então, esse dia é marcado por ações no mundo todo visando a conscientização sobre a importância da prevenção de acidentes de trabalho e doenças ocupacionais. O tema da campanha este ano, definida pela OIT, é “Vamos agir em conjunto para construir uma cultura positiva de segurança e saúde no trabalho”.

O objetivo é explorar a importância da participação e do diálogo social na criação de uma cultura positiva de segurança e saúde. Acredita-se que um diálogo eficaz deve envolver a participação ativa do governo, trabalhadores e empregadores em todas as fases dos processos de tomadas de decisões em relação a Segurança e Saúde do Trabalho (SST).

Segundo a OIT, o diálogo social não só contribui para melhorar as políticas e estratégias de SST, mas também é essencial para criar apropriação e compromisso, facilitando o caminho para a sua implementação rápida e mais eficaz. E para promover uma cultura forte de SST é preciso que um ambiente de trabalho seguro seja valorizado e promovido tanto pelos empregadores quanto pelos trabalhadores.

Nesse contexto, uma cultura de SST positiva baseia-se no envolvimento e inclusão de todas as partes em busca da melhoria contínua da segurança e saúde no trabalho. Por isso a comunicação e o dialogo abertos são a base para promover um ambiente de trabalho seguro, reduzindo os riscos de acidentes e doenças ocupacionais.

Estatísticas de acidentes de trabalho

Falar sobre saúde e segurança do trabalho é de extrema importância, não somente nesta data, mas todos os dias. Os números de acidentes e mortes ainda são preocupantes e mostram quem há muito o que se fazer ainda para melhorar a segurança no trabalho. Confira algumas estatísticas de acordo com o Observatório de Segurança e Saúde no Trabalho, elaborado pelo Ministério Público do Trabalho e a Organização Internacional do Trabalho:

  • No mundo, a cada 15 segundos, um trabalhador morre por acidente de trabalho ou doença laboral.
  • De 2012 a 2021, o Brasil registrou 6,2 milhões de acidentes de trabalho e 22.954 destes acidentes resultaram em morte.
  • Neste período, o INSS concedeu 2,5 milhões de benefícios previdenciários acidentários e o gasto previdenciário com despesas de acidentes de trabalho e doenças ocupacionais ultrapassou os R$ 120 bilhões.
  • Entre os países do G20, o Brasil ocupa o 2º lugar em mortalidade no trabalho, com 6 óbitos a cada 100 mil empregos formais, considerando o período de 2012 a 2020. O 1º colocado é o México, com 8 óbitos a cada 100 mil trabalhadores.
  • Em um ranking global, o Brasil é o 4º país onde mais acontecem acidentes de trabalho. A cada 48 segundos um acidente de trabalho acontece em nosso país, e a cada 4,5 horas, um trabalhador perde a vida.
  • Os menores índices de mortes foram registrados no Japão (1,4 a cada 100 mil), Canadá (1,9 a cada 100 mil) e, entre os países da América do Sul, a Argentina (3,7 mortes a cada 100 mil trabalhadores).
  • As partes do corpo mais atingidas, de 2012 a 2021, foram os dedos (24%), pés (8%) e mãos (7%).
  • Em 2021, foram comunicados 571,8 mil acidentes e 2.487 óbitos associados ao trabalho, com aumento de 30% em relação a 2020. Os números de 2020 registraram 446.881 notificações de acidentes de trabalho e 1.886 óbitos.

Como evitar acidentes de trabalho?

De acordo com a Norma Regulamentadora 6 (NR 6), tanto o empregador quanto o empregado têm responsabilidades em relação à segurança no ambiente de trabalho. Então, trazemos algumas dicas a seguir sobre como evitar acidentes:

  • O uso de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) é essencial e estes devem ser utilizados de acordo com o risco que a atividade oferece. É de responsabilidade da empresa fornecer os EPIs e obrigação dos trabalhadores usarem os equipamentos de forma correta.
  • A empresa também deve instalar os Equipamentos de Proteção Coletiva (EPCs) necessários para promover a segurança de todos.
  • É importante divulgar os eventuais riscos aos quais os colaboradores estão expostos, assim eles criam consciência da importância da prevenção de acidentes e doenças ocupacionais.
  • É responsabilidade do empregador orientar e dar treinamento de EPI aos colaboradores. O treinamento é uma ação importante para a conscientização dos colaboradores e o bem-estar de todos no ambiente de trabalho.
  • A realização de exames periódicos contribui para a prevenção ou identificação de doenças ocupacionais em fase inicial, tornando o tratamento mais rápido.
  • As empresas com mais de 20 funcionários devem instituir a Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (CIPA). O objetivo da CIPA é desenvolver ações voltadas à prevenção de acidentes e doenças ocupacionais, proporcionando um ambiente de trabalho com foco na preservação da vida e promoção da saúde do colaborador.

Lembre-se: a prevenção é o melhor caminho para evitar os acidentes de trabalho e doenças ocupacionais. E para garantir a sua segurança, conte sempre com os profissionais de SST. Afinal, como diz o tema da campanha da OIT deste ano, o diálogo é essencial para construir uma cultura positiva de segurança e saúde no trabalho.

Precisa de ajuda? Converse conosco